Equipe de Resgate de Dependentes Químicos e Alcoólatras

Uma das maiores preocupações entre os familiares e responsáveis legais pelo dependente químico ao solicitarem a internação voluntária ou a compulsória é quanto à equipe de resgate. Sabe-se que o(a) adicto(a) está em condição delicada, muitas vezes agindo com violência e, portanto, no caso da internação involuntária a abordagem da equipe que vem resgatá-lo deve ser feita com todo cuidado.

Aqui no Hospital terapêutico do Grupo Vida estamos convictos disso, pois atuamos há décadas como um centro para reabilitação de dependentes químicos. Por isso, se você deseja internar alguém que está sob o vício das drogas ou do álcool e teme quanto à equipe de resgate agir com métodos agressivos ou antiquados, saiba que não é assim que atuamos. 

Como funciona o “resgate” de dependentes químicos

Os profissionais que compõem a equipe de resgate do Hospital terapêutico do Grupo Vida são experientes, treinados e totalmente preparados para resgatar o usuário de álcool, crack, e outras substâncias químicas, seja qual for o estado em que se encontrarem. 

Acima de tudo, a abordagem jamais viola quaisquer direitos humanos, principalmente porque o drogado já não está mais agindo em sã consciência. Quanto à alguma cena de violência e agressividade, embora muitos familiares achem que possa ser assim, raramente acontece já que a equipe de resgate aborda o usuário de forma pacífica e dialogando, com profissionalismo. 

Internação involuntária

Nos casos em que o adicto não aceita que precisa de internação e normalmente depois de já ter sido ajudado de todas as formas continua usando drogas, destruindo sua vida e a de seus familiares, é solicitada a internação compulsória (interdição). Depois de tudo combinado, no horário e dia programados, a equipe de resgate de dependentes químicos e alcoólatras se dirige até o local e leva o paciente contra sua vontade para nosso centro de reabilitação. 

Importante: ao chegar na clínica de recuperação, temos médicos, psiquiatras, psicólogos e todo um time de profissionais que atuarão na conscientização do usuário de drogas ou álcool quanto à importância de estar ali. Isso quer dizer que o termo “involuntário” faz referência apenas à internação, e não ao tratamento em si.

Internação voluntária

Quando os familiares conversam com o usuário de drogas e este se convence e decide quanto a ser internado, o Hospital terapêutico do Grupo Vida simplesmente envia a equipe de resgate para buscar o paciente. Normalmente os responsáveis costumam conduzir o viciado até nossa clínica para tratar a dependência química, mas também nos deslocamos até o local para resgatar a pessoa se assim for solicitado. 

Tipos de resgate

Aqui no hospital terapêutico do Grupo Vida, nossa equipe de resgate de dependentes químicos e alcoólatras atua com os seguintes resgates:

  • programado pelo familiar (normalmente após visitarem a clínica e decidirem todos os detalhes)
  • emergencial (o familiar ou responsável legal telefona e pede o resgate imediatamente)

Também atuamos com o resgate por sugestão, isto é, quando alguém liga perguntando como funciona a clínica de reabilitação da dependência química e explica a situação, sugerimos o resgate, que sendo solicitado e documentado via e-mail, é feito com sucesso.

Outra opção é o resgate familiar, normalmente solicitado por quem reside longe, em outra cidade ou estado, que vem com o usuário até alguma cidade próxima do Hospital terapêutico do Grupo Vida e aí nossa equipe se desloca até o local para buscar o paciente. 

Quando o resgate de um dependente químico é recomendado?

A família percebendo que o adicto não consegue parar sozinho e que está sendo um risco para si próprio e a seus familiares (e demais pessoas do redor) já pode (e deve) solicitar a equipe de resgate de dependentes químicos e alcoólatras. 

Quem pode solicitar a internação?

Apenas pai, mãe, filhos, esposa, marido, ou responsável legal. Outros parentes próximos podem solicitar a internação voluntária ou compulsória, porém somente com autorização do responsável legal.